Shopping center: diversificação para os usuários

Consumidor deseja um espaço com serviços pessoais


Por: Eliana Sonja
Data: 23 de janeiro de 2020
img

O primeiro shopping center brasileiro foi inaugurado em 1966, em São Paulo. No entanto, a ideia realmente ganharia expansão no país nos anos 1980. De lá pra cá, as maiores cidades brasileiras ganharam seu quinhão de shoppings centers. Agora, as cidades interioranas com potencial de crescimento é que têm granjeado atenção dos empresários do ramo.

Sem dúvida, é um modelo que ganhou o consumidor no mundo todo. Mas, como tudo está sujeito a mudanças, as tendências de consumo também. Assim, os shoppings centers estão se reinventando para atender as necessidades atuais do consumidor. Ele não está mais interessado em um espaço exclusivo de compras. O frequentador desses espaços quer, também, entretenimento, experiência e interatividade.

Assim, em meio às lojas de vestuário, calçados e brinquedos, o consumidor quer também salão de beleza, academia, barbearia. Ou seja, um shopping center que ofereça serviços pessoais. Confira abaixo, quais as principais tendências para os shoppings centers (algumas já estão se consolidando).

Interior

Como já dito anteriormente, a grande maioria dos empreendimentos tem sido inaugurada no interior e em cidades metropolitanas. Isso se dá pelas novas oportunidades criadas por shoppings com operações menores. Além disso, a inclusão de tecnologia na gestão permite baratear custos e simplificar a administração. As cidades interioranas que receberam novos empreendimentos possuem, predominantemente, população das classes B e C.

Quiosques

A utilização de quiosques para promover marcas e produtos é uma estratégia que deve ser ainda mais explorada em 2020. Com custo de ocupação bem inferior ao de uma loja convencional, são uma forma de ampliar a presença das varejistas dentro dos shoppings. O formato oferece um modelo de compra mais prático, de fácil acesso e geralmente atende a uma necessidade de consumo.

Pets

De acordo com o IBGE, o Brasil tem cerca de 52,2 milhões de cães domésticos. São mais animais do que crianças nos lares brasileiros. Com essa nova realizada, os shoppings têm permitido o acesso dos pets a locais antes proibidos. Assim como também a oferta de lojas especializadas.

Eventos

Os estacionamentos dos shoppings também estão sendo usados para outras funções: espaço para eventos. De feira de orgânicos a corridas esportivas, essas atrações têm atraído muita gente para os shoppings e é uma tendência que veio para ficar.

Conta pra gente o que você achou!